Imagem card Quem Somos

Quem Somos

Somos os freis da Província Agostiniana Nossa Senhora da Consolação do Brasil e temos como propósito frutificar o carisma agostiniano em terras brasileiras, através das nossas obras.

Santos
e Beatos

Beata Madalena Albrici
17 de julho

Imagem card Vida e Obra de Santo Agostinho

Vida e Obra de Santo Agostinho

Santo Agostinho (354-430), africano de nascimento e romano de cultura, é um patrimônio de santidade e cultura não só da Igreja, mas de toda a humanidade...

Toma e Lê Inspiração para meditar

“Quando esvaziares teu coração do amor terreno, começarás a enchê-lo do amor divino. (Tratado da carta de São João 2.8).”
- Santo Agostinho

Artigos

06jul Imagem destaque da evento Vocação: chamado de Deus para todos
Vocação: chamado de Deus para todos
20jun Imagem destaque da evento Quando meus desejos estão diante de Deus
Quando meus desejos estão diante de Deus
11jun Imagem destaque da evento Corpus Christi: a festa da comunhão e da esperança
Corpus Christi: a festa da comunhão e da esperança

Notícias

08jul
Colégio Santo Agostinho começa a estruturar plano de retorno das aulas presenciais

Uma nova realidade nos aguarda quando for autorizados pelos órgãos competentes a retomarmos as atividades presenciais do Colégio Santo Agostinho e das nossas Obras Sociais. Para garantir o máximo de cuidado com toda a comunidade escolar, a Próvíncia Agostiniana Nossa Senhora da Consolação do Brasil, por meio de um grupo de trabalho composto por uma equipe multidisciplinar de lideranças da Sociedade Inteligência e Coração (SIC),  está atuando em um plano de retomada apoiado pela consultoria global Arcadis. A consultoria está desenvolvendo planos para as quatro Unidades do Colégio Santo Agostinho que também serão adaptados para as demais Unidades da SIC. 

Assim, quando a data da volta as aulas presenciais estiver definida, já estaremos preparados para as diversas medidas que precisam ser implementadas pelas instituições de ensino, de maneira a viabilizar o retorno de estudantes, professores e demais colaboradores para dentro da escola. Novas rotinas de controle, higiene e prevenção de riscos passarão a integrar a realidade das instituições de ensino, para além das transformações no âmbito pedagógico, advindas do processo de educação remota iniciado em meados de março, quando a pandemia do novo coronavírus culminou no fechamento das escolas.
Assista ao vídeo abaixo e saiba os detalhes:


 

Consultoria global Arcadis
A Arcadis é referência em estudos e soluções ambientais e também possui experiência internacional em consultoria de projetos para medidas de prevenção de outras doenças infecciosas, como a SARS, gripe aviária e gripe suína, atuará junto ao Colégio de forma customizada, como explica o gerente de projeto da Arcadis, Lucas Fonseca. “Desenvolvemos uma linha de possíveis soluções voltadas para a prevenção, mitigação e controle de exposições à Covid-19, as quais podem ser implementadas em diversos setores, entre eles o da educação. Para o Colégio Santo Agostinho, atuaremos na consultoria e apoio para elaboração do Plano de Prevenção e Resposta, que consiste na identificação de possíveis exposições ao COVID-19 e indicações de medidas de prevenção, mitigação e outras emergenciais, com objetivo de minimizar os riscos de exposição ao contágio pelo novo coronavírus e oferecendo o direcionamento necessário para a tomada de decisões e retomada responsável das atividades.”

Apesar de ainda em fase inicial do projeto, em etapa de levantamento e compilação de informações, rotinas e processos, Fonseca vislumbra algumas ações que podem ser sugeridas ao Colégio. “Existem diversas maneiras de fazer e soluções que podem ou não ser aplicadas, de acordo com cada realidade. Uma das principais medidas é a conscientização das famílias, pois a situação requer alterações em comportamentos e rotinas, contribuindo com todas as demais medidas de proteção”, afirma. No caso do Santo Agostinho, a Arcadis fornecerá as informações técnicas necessárias para cada unidade e grupos específicos.

O gerente do projeto destaca, também, que as medidas apresentadas serão customizadas às particularidades de cada Unidade do Colégio. “Em função de algumas realidades distintas, como número de portarias, quantidade de alunos e de salas, bem como as próprias rotinas, que podem variar entre as Unidades, é possível que tenhamos soluções diferentes em cada local”, prevê. “O Colégio, avaliará as implementações necessárias e comunicará, em momento oportuno, as diretrizes do “novo normal” em suas unidades, assim como o papel de cada um – professores, colaboradores, pais, alunos, comunidade escolar, entre outros – para que a iniciativa seja bem-sucedida”, complementa.

Outro diferencial do contrato da Arcadis com o Colégio Santo Agostinho é a assessoria técnica mensal, incluindo proposições de adequações do plano, de acordo com a evolução do projeto, publicação de novas legislações e recomendações de entidades pertinentes.

Fernanda Fernandes, Gestora de Relações Humanas da SIC - mantenedora do Colégio Santo Agostinho e integrante de grupo de trabalho dos planos de retorno, atribui a contratação da consultoria ao cuidado em preservar a saúde e segurança da comunidade escolar, valor já praticado pela Instituição mesmo antes da pandemia. “Temos ciência da responsabilidade da escola em cuidar de cada criança, jovem e colaborador que adentra nossas dependências e, por esse motivo, selecionamos/contratamos a Arcadis. A experiência global da consultoria e o fato de termos sido impactados com a Covid-19 após a passagem desta em outros países, possibilita o aprendizado com o que já deu certo em outros lugares do mundo”, finaliza.

Sobre o Colégio Santo Agostinho
O Colégio Santo Agostinho foi fundado em Belo Horizonte (MG), em 1934, pelos freis agostinianos recém-chegados da Espanha. Já formou gerações de crianças e jovens ao longo de décadas de ensino, sempre primando pela excelência da educação oferecida e pelo trabalho de formação humano-cristã de seus alunos. Prestando serviços da Educação Infantil ao Ensino Médio, atende, atualmente, a cerca de 8,3 mil alunos nas Unidades de Belo Horizonte (nos bairros Santo Agostinho e Gutierrez), Contagem e Nova Lima.

 

07jul
Primeira semana dedicada à vida religiosa consagrada

A CRB - Conferência Nacional dos Religiosos do Brasil divulgou a programação da 1ª Semana da Vida Religiosa Consagrada que será realizada de 16 a 22 de agosto com o tema: “Amados(as) e chamados(as) por Deus”.

Veja a programação:

Dia 16 de agosto, às 15h
– Missa de Abertura, na catedral de Brasília (DF), transmitida pelas redes Sociais da CRB

Dia 17 de agosto, live “A relevância da Vida Consagrada nos tempos atuais” – com o cardeal dom João Braz de Aviz, Prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica do Vaticano, e dom João Inácio Müller, OFM, Arcebispo de Campinas (SP)

Vídeo de apresentação do ser e fazer da CRB Nacional
Lives vocacionais e “Diálogos Formativos” virtuais das 20h30 às 21h30

8 de agosto – Mística do animador com o tema “O humano no itinerário vocacional”
21 de agosto – Os votos na Vida Consagrada associados ao Pós Sínodo da Amazônia
29 de agosto – Aspectos psicológicos da pessoa do Animador Vocacional

Participarão desta semana o Papa Francisco; o cardeal dom João Braz de Aviz; dom João Inácio Müller; dom João Salm, bispo diocesano de Tubarão (SP); Carlos Eduardo Cardozo, escritor e especialista em juventude; Frei Luiz Carlos Susin, OFMCap; irmã Annette Havenne; Moisés Sbardelotto,  jornalista e doutor em Comunicação; e frei Zanildo Zugeno, OFMCap.

06jul
Entrevista: Frei Felix Valenzuela fala sobre o momento atual do país

Em entrevista especial o Frei Félix Valenzuela Cervera comenta sua percepção sobre a situação atual do país, sobretudo  neste tempo de pandemia.  Com interesse e preocupação, ele acompanha diariamente os notícias e diz que "do ponto de vista social, econômico e humano o que estamos vivendo hoje, no Brasil, é uma verdadeira tragédia. Algo que nunca vi igual em toda a minha vida".

Aos 87 anos de idade, 70 de vida religiosa, Felix conserva o mesmo espírito missionário e promissor de quando, aos 17 anos, professou os primeiros votos na Ordem de Santo Agostinho na Espanha, em 1950.

Morando no município de Santa Terezinha, próximo a São Félix do Araguaia, no Mato Grosso, ele se sente privilegiado por ter boa saúde e pelo muito que já viveu. Atento às necessidades das pessoas, acompanha as diversas realidades com pesar. "A situação para o povo é muito dura, sem poder trabalhar, sem dinheiro para sustentar a família... é muito triste. Graças a Deus posso estar aqui, em Santa Terezinha. Mas me preocupo com as pessoas que não têm escolha, que por falta de recursos não encontram outra maneira de viver, não têm uma saída para essa situação terrível. Diria que me encontro muito bem, muito animado, tenho boa saúde. Sou um privilegiado pela idade, pela saúde, por tudo".

Frei Félix nasceu em Madri, Espanha, em 18 de fevereiro de 1933, sendo o sexto filho de oito irmãos. O Pai era engenheiro, militar e também foi deputado. Quando Félix nasceu, seu pai estava prisioneiro, deportado no Saara Ocidental. Ele e sua família viveram num período político e social bastante conturbado na Espanha, quando o general Franco iniciou seu regime político. Em diversas épocas de sua vida, passou por momentos de conjunturas difíceis, como o período de ditadura do general Augusto Pinochet, no Chile, e a ditatura militar no Brasil, que marcaram profundamente sua vida.

Sobre a situação atual do Brasil, agravada ainda mais pela pandemia do coronavírus, disse que não tinha vivido nada parecido. "Passam-se os anos e ninguém resolve nada na política, isso muito antes do vírus, da pandemia. Conheci muitas pragas! E penso que o que estamos vivendo hoje é pior do que tudo o que já vi até agora. Pior que as ditaduras que vivenciei no Chile e no Brasil. A situação atual me parece insustentável. O que estamos vivendo é uma vergonha tão imensa, tão ruim... muito pior que o coronavírus. O vírus não é culpa nossa, é algo mundial, mas a situação política e econômica do Brasil sim, é culpa nossa, e isso me preocupa muito mais. Essa situação é culpa da sociedade como um todo. Uns porque votaram num governo e outros porque ficam calados. Para esse problema maior é que não temos solução."

Administrador experiente e empreendedor, Félix esteve à frente de importantes processos como o de reestruturação da Sociedade Inteligência e Coração (SIC) e projetos sociais, da Província, muitos dos quais foi idealizador. Analisando a grave situação financeira pela qual muitas empresas passam atualmente, diz que nem imagina o que faria se hoje estivesse administrando. "Mínimas decisões impactam muitas pessoas, muitas famílias. É tudo muito sério, um problema imenso. Por isso, todo o meu apoio, ânimo e esperança para eles, os administradores”.

Sobre a situação das famílias, ressalta que psicologicamente é desgastante. "Pensando nos ricos a gente sabe que é um problema sério para eles. Mas, pensando nos pobres a gente fica apavorado. O problema é gravíssimo. O que esperar do amanhã sem recursos, nem casa, sem lugar para ficar isolado? Os pobres não têm nada, nada, quase não têm direito a viver. É terrível. Minha dor está fundamentada nisso aí.”

O que diria para as pessoas que estão passando por dificuldades maiores? "Sinceramente, não sei o que dizer. Não há palavras que possam solucionar. Então, eu abraçaria. Não há muito o que dizer e fazer. Dói demais”.

Entrevista_Felix3.jpg

Breve biografia:
18 de fevereiro de 1933 - Nasce em Madri, Espanha, no dia 18 de fevereiro
13 de outubro de 1950 - Primeiros votos no dia 13 de outubro de 1950
11 de setembro de 1955 - Ordenação sacerdotal
1962 - Recebe a destinação para trabalhar no Chile
1968 a 1970 - Trabalho no Panamá
1970 - Destinado pela Província Matritense (Espanha), para Vicário Regional, em Belo Horizonte (Brasil)
1978 - Retorna à Espanha como Conselheiro da Província e formador dos Teólogos no Mosteiro do Escorial. Regressa ao Brasil em 1982, para assumir novamente o cargo de Vicário Regional.
1984 a 1987 - Trabalho como formador no Teologado de Contagem (MG)
Março de 1987 - Vai para a missão de São Félix do Araguaia (MT)
1990 - Assume o cargo de Vicário Regional, residindo no Teologado de Diadema (SP) e depois residindo na comunidade da Consolação no Rio de Janeiro.
2010 - Volta à missão na Prelazia de São Félix do Araguaia, residindo no município de Santa Teresinha
2010 - Eleito conselheiro vicarial e ecônomo regressa a Belo Horizonte
2014 - Retorna a São Félix do Araguaia. Reside atualmente no município de Santa Teresinha (região do Araguaia)

Entrevista_Felix2.jpg

Imagem card Vocações

Vocações

Assim como Santo Agostinho, encontre em Jesus o sentido da vida.

A nossa Província investe em uma formação de excelência para os candidatos à vida religiosa e ao sacerdócio. Essa promoção de novas vocações se dá pelo esforço e preocupação de muitos religiosos, em especial os mais jovens, que buscam ser testemunhas alegres que despertem e animem outros jovens a se juntarem a nós nessa aventura de fé e amor a Deus.

Imagem card Nossas Obras

Nossas Obras

Nos dedicamos as nossas obras com muita generosidade e determinação.

Além das "obras históricas" e de assistência social e promoção humana, nos dedicamos à formação de novos frades, assessorias de pastorais e movimentos populares e de grupos e pastorais ligadas à promoção dos direitos humanos, da justiça e paz.

Mapa do Site